“O Quadro de Todos Juntos”: montagem trata de temas adultos com teatro de formas animadas

Publicado 12/03/2019

No espetáculo do coletivo “O Pigmalião Escultura Que Mexe”, segredos são revelados por trás do retrato de família. Foto: Diego Sá.

Um retrato tradicional de família é o ponto de partida para a quebra da superficialidade que a imagem perfeita esconde. Na peça “O Quadro de Todos Juntos”, o coletivo de artistas “O Pigmalião Escultura Que Mexe” surpreende de várias maneiras. A principal delas é o fato de que o espetáculo trata de temas adultos usando recursos como bonecos e máscaras, a começar pela família. Em vez de pessoas, os personagens são porcos. A peça trabalha questões como desvios de sexualidade e perversidade.

Comprar ingresso

A fragilidade exposta junto a íntimos segredos dos personagens pretende transmitir um choque de realidade. E, apesar do cenário lúdico e fantasias, a complexidade dos diálogos e temas trabalhados na montagem dá ao espetáculo a classificação indicativa de 18 anos.

Conhecido por fazer trabalhos que unem artes cênicas às artes plásticas, o coletivo há 12 anos desenvolve espetáculos com profundidade conceitual e filosófica usando formas animadas, especialmente os recursos do teatro de bonecos. E, para o espetáculo escolhido para a 28ª edição do Festival de Curitiba, a construção da peça passou por estudos da obra de Michel Foucault e pesquisas de campo que incluíram visitas a um hospital psiquiátrico.

Programação

Confira os eventos que estão em destaque nessa edição

Temos atrações para todos os gostos!

Ainda não sabe o que assistir no Festival? Veja nossas listas especiais!