Coletivo El Camino traz Letícia Spiller e Maureen Miranda para 27ª edição do Festival

Publicado 14/03/2018

A atriz Letícia Spiller lança livro durante a mostra do Coletivo El Camino. Foto: divulgação.

A mostra, que integra o Fringe 2018, terá teatro com transmissão ao vivo pelo Facebook, música, artes plásticas e lançamentos de livros

O Coletivo El Camino, que conta com a participação da atriz, cantora e escritora Letícia Spiller, é uma das atrações do Fringe, que faz parte da 27ª edição do Festival de Curitiba, que acontece de 27 de março a 8 de abril.  Entre a quarta-feira (28/3) e o domingo (8/4), o El Camino fará 44 apresentações, de oito espetáculos diferentes, que envolvem teatro, música, artes plásticas e literatura. Toda a programação acontece na Bicicletaria Cultural, em Curitiba.

O grupo nasceu em 2017 da união entre seis talentosos artistas de cidades diferentes. Todos já possuem caminhos artísticos traçados e reconhecidos, mas seguem sempre dispostos a explorar todas as possibilidades de expressão. “Somos seis amigos, seis artistas fazendo uma mescla de nossas composições e poesias com textos de poetas que a gente admira. Poder cantar e fazer performance em torno do canto e da poesia é uma coisa que eu estou curtindo muito!”, diz Letícia Spiller. “É novo porque não é uma peça de teatro, é mais voltado para a música e o melhor de tudo é que estamos entre amigos. A gente se diverte muito! Tudo é culpa da Maureen Miranda que me convidou a fazer parte disso tudo!”, completa a atriz.

O Coletivo El Camino conta com Letícia Spiller (atriz, cantora e escritora), Flávio Jardim (designer e fotógrafo), Maureen Miranda (atriz e artista plástica), Neco Yaros (músico e compositor), Adriano Petermann (ator) e Pablo Vares (músico e compositor). Além de shows e apresentações teatrais, a programação do El Camino também contará com o lançamento do 1º livro de Letícia Spiller. “Mais de Mim”, que reúne cerca de 30 poemas e relatos abordando a vida da autora, com ilustrações da artista paranaense Maureen Miranda.

Entre os desafios da trupe, também estão as peças “Bernard Só” – com texto de Luiz Felipe Leprevost –, que terá transmissão ao vivo pelo Facebook da Companhia Teatro Portátil e “A Anta de Copacabana”, dirigida por Rafael Camargo, que já esteve na programação do Fringe e foi considerada uma das melhores da edição da qual fez parte.

Os ingressos podem ser adquiridos no site do festival (https://festivaldecuritiba.com.br/bilheterias), no aplicativo “Festival de Curitiba 2018” e nas bilheterias dos shoppings Mueller e ParkShoppingBarigüi.

Sobre a Bicicletaria Cultural

O conceito da Bicicletaria Cultural, criada pelos artistas e ciclistas Patrícia Valverde e Fernando Rosenbaum, é ser uma referência nas discussões sobre mobilidade urbana.

Inugurado em 2011, o espaço oferece um centro de apoio e de serviços para os ciclistas, com estacionamento exclusivo e oficina, além de abrigar reuniões e ações culturais de diversos segmentos artísticos.

A estrutura do local foi ampliada com a construção de novos banheiros e vestiários. A Bicicletaria também oferece um café e uma cantina (que funcionarão entre às 8h e às 24h durante o festival)  com várias opções de lanches, sopas, saladas e bebidas, todos com custo entre R$ 4 e R$ 30.

A Bicicletaria Cultural fica na Rua Pres. Faria, 226, no Centro, fone 3153-0022.

Os espetáculos

Bernard Só

Bernard Só é um youtuber prestes a completar 90 anos. Com textos de Luiz Felipe Leprevost e direção de Rafael Camargo, o espetáculo será transmitido em tempo real pela internet por meio do Facebook da Cia. Portátil (www.facebook.com/CiaTeatroPortatil), transformando a obra em um híbrido entre o teatro e o audiovisual.

“Vamos falar de solidão e de gente. O Bernard Só vai fazer 90 anos de idade e viu muita coisa em quase um século. Ele não está sozinho, pois eu estou com ele, agora. Ao vivo, via Facebook, comungando com um teatro cheio de gente, descobriremos juntos quem é Bernard Só. A peça terá transmissão ao vivo para quem quiser assistir de casa, em sua própria solidão”, explica Adriano Petermann, que protagoniza e produz o monólogo.

As apresentações acontecem nos dias 28/3 (quarta-feira), às 22h; 30/3 (sexta-feira), às 21h; 31/3 (sábado), às 21h; 1/4 (domingo), às 23h; 3/4 (terça-feira), às 17h; 4/4 (quarta-feira), às 21h; 5/4 (quinta-feira), às 21h; 6/4 (sexta-feira), às 22h; 7/4 (sábado), às 19h; e 8/4 (domingo), às 23h59.

Os ingressos custam R$ 30 e podem ser comprados neste link: (https://ingresso.festivaldecuritiba.com.br/evento/14). A classificação etária é de 14 anos.

Rapsodos

“Rapsodos” é um recorte dos cantos XII e XVII da Ilíada de Homero (interpretados por Maureen Miranda e Adriano Petermann) e do Canto IV da Odisseia (interpretado por Stella Maris Moreira).

A peça é um resgate de uma tradição da Grécia Antiga, na qual os rapsodos “duelavam” na abertura das Olimpíadas para ver quem apresentava a forma mais virtuosa de interpretação. A trilha sonora é executada ao vivo pelo instrumentista e compositor Neco Yaros. “Nosso objetivo é resgatar essa tradição oral de declamar os rapsodos. Espero que o público aproveite e tome gosto por essa literatura, a mais antiga da nossa cultura ocidental”, diz Adriano Petermann.

As apresentações acontecem nos dias 28/3 (quarta-feira), às 19h; 29/3 (quinta-feira), às 17h; 31/3 (sábado), às 21h; 2/4 (segunda-feira), às 19h; 3/4 (terça-feira), às 21h; 4/4 (quarta-feira), às 19h; 5/4 (quinta-feira), às 23h; 6/4 (sexta-feira), às 20h; e 8/4 (domingo), às 17h.

Os ingressos custam R$ 30 e podem ser comprados neste link: (https://ingresso.festivaldecuritiba.com.br/evento/174). A classificação etária é livre.

Mais de Mim

Após 25 anos de carreira como atriz, a também cantora e poeta Letícia Spiller escolheu o Festival de Curitiba para lançar o seu 1º livro. “Mais de Mim”, que será publicado pela DUS Editora, reúne cerca de 30 poemas e relatos escritos a partir do ano 2000. Os textos abordam a vida da autora de forma expressiva e romântica. As ilustrações são da artista paranaense Maureen Miranda. “Como o próprio nome diz, as pessoas poderão conhecer mais sobre a Letícia, além da imagem, do superficial. Quem quiser me conhecer mais a fundo vai gostar do livro porque ali tem um pedaço do meu coração que não é acessível por meio da imagem, somente. Eu acho que a poesia fala através da alma da gente. A obra também é um presente porque é um livro-arte com pinturas da Maureen e algumas vêm com uma frase do poema, prontas para serem enquadradas”, explica Letícia Spiller.

O lançamento acontece no dia 5/4 (quinta-feira), às 19h. A entrada é gratuita e a classificação etária é livre.

Encruzilhada

No show “Encruzilhada”, o músico uruguaio Pablo Vares interpreta composições flamencas de sua autoria e também grandes clássicos do estilo. A ideia é fazer com que o espectador tenha a oportunidade de ouvir e sentir um espetáculo no qual o violão é o protagonista. “Na ‘Encruzilhada’ eu posso ficar completamente a vontade e tocar ‘a mi aire’, como dizemos em espanhol. Somos o violão, eu e tudo o que vem por trás disso. São anos de dedicação para levar em frente a arte e os valores nos quais acredito. As incontáveis vivências que tive nesse processo confluem nesse momento em que eu posso soltar as rédeas. Muitos estilos me influenciaram direta ou indiretamente, mas o Flamenco é a cultura e a arte que me amestrou”, explica Pablo Vares.

Os shows acontecem nos dias 28/3 (quarta-feira), às 21h; 31/3 (sábado), às 17h; e 3/4 (terça-feira), às 19h. Os ingressos custam R$ 20 e podem ser comprados neste link: (https://ingresso.festivaldecuritiba.com.br/evento/15). A classificação etária é livre.

A Anta de Copacabana

Dirigido pelo dramaturgo e ator paranaense Rafael Camargo, o monólogo “A Anta de Copacabana” aborda a solidão vivida pelo personagem em um dos bairros mais famosos do mundo.

Na peça, interpretada pelo ator Adriano Petermann, com iluminação de Fernanda Mantovani e trilha sonora de Carlos Careqa, o protagonista vive uma metáfora sobre as nossas prisões pessoais e a falta de coragem para mudar. “A Anta é um surto que vai da loucura à hiper-realidade. ‘Só existe a pedra e o tempo, o resto é tudo inventado’. A peça fala da solidão que é viver, de como o mundo está em nosso pensamento e lembranças”, explica Adriano Petermann.

As apresentações acontecem nos dias 28/3 (quarta-feira), às 23h59; 29/3 (quinta-feira), às 20h; 30/3 (sexta-feira), às 23h59; 1/4 (domingo), às 19h; 3/4 (terça-feira), às 23h; 6/4 (sexta-feira), às 23h59; e 7/4 (sábado), às 23h.

Os ingressos custam R$ 30 e podem ser comprados neste link: (https://ingresso.festivaldecuritiba.com.br/evento/13). A classificação etária é de 14 anos.

Os Monstros

Na exposição “Os Monstros”, a artista paranaense Maureen Miranda parte da ideia de uma viagem por uma floresta, usando uma lupa. O evento também contará com show do músico e compositor Neco Yaros.

A artista retrata 30 insetos (que ela chama carinhosamente de monstros) usando as técnicas de acrílica sobre madeira naval, acrílica sobre madeira reciclada, aquarela sobre papel e acrílica sobre tela. “A minha admiração por insetos vem desde quando eu era criança. Eu imagino os insetos como pequenos monstros. Primeiro eu comecei a desenhar em aquarela, mas para a exposição eu queria uma base mais potente, então, peguei algumas madeiras navais e outras que eu achei na rua e reciclei. Estou bem feliz com o resultado”, explica Maureen Miranda.

A exposição começa no dia 28/3 (quarta-feira), às 17h, e fica em cartaz até 8/4. A classificação etária é livre e a entrada é gratuita.

Coleção Genoma

Genoma é um grupo formado por 15 artistas: Maureen Miranda, Bruno Garcia, Carla Böhler, Fabíula Nascimento, Hilton Castro, James McSill, Leandro Daniel Colombo, Leonardo Medeiros, Letícia Spiller, Pablito Kucarz, Ricardo Severo, Rô Milani, Rodrigo Ferrarini, Rubens Caribé e Simone Spoladore.

Nos livros da Coleção Genoma, lançados pela Editora DVS, cada um dos integrantes do grupo  escreve individualmente o seu livro infantil, em que a criança pode ler e colorir. Todas as ilustrações são da artista paranaense Maureen Miranda. A proposta é a troca de ideias, opiniões e o debate da escrita como forma de expressão. “O Genoma começou em 2015 reunindo um grupo de artistas, amigos. É uma coisa inédita no Brasil. Cada um escreveu uma história para crianças e eu fiz as ilustrações. Já estamos até formando o Genoma 2”, explica Maureen Miranda.

O lançamento acontece no dia 4/4 (quarta-feira), às 17h. A classificação etária é livre.

Punho Fechado

“Punho Fechado” é um pocket-show poético que une música, performance, poesia e desenhos. Falando do coração físico, de um coração sentimental, as pessoas identificam, de várias formas, as nuances que levam consigo, erradicando o mundo externo.

O elenco é composto por Letícia Spiller, Adriano Petermann e Maureen Miranda, com música de Neco Yaros e Pablo Vares e produção executiva de Flávio Jardim. “Nós escolhemos esse nome porque, se você fechar a sua mão, ela fica no formato de um coração. O espetáculo fala justamente sobre isso, o coração”, explica Maureen Miranda.

As apresentações acontecem nos dias 29/3 (quinta-feira), às 23h59; 30/3 (sexta-feira), às 22h30; 31/3 (sábado), às 23h; 1/4 (domingo), às 21h; 2/4 (segunda-feira), às 23h; 6/4 (sexta-feira), às 17h; 7/4 (sábado), às 21h; e 8/4 (domingo), às 21h.

Os ingressos custam R$ 50 e podem ser comprados neste link: (https://ingresso.festivaldecuritiba.com.br/evento/12). A classificação etária é de 12 anos.

Serviço

O quê: programação do Coletivo El Camino no Fringe, que integra a 27ª edição do Festival de Teatro de Curitiba.

Quando: de 28 de março a 8 de abril.

Onde: Bicicletaria Cultural, em Curitiba, Rua Pres. Faria, 226, Centro, fone 3153-0022.

Quanto: preços variados, com ingressos à venda no site do Festival de Teatro (https://festivaldecuritiba.com.br), no aplicativo “Festival de Curitiba 2018” e nas bilheterias localizadas nos shoppings Mueller e ParkShopping Barigüi.

Programação completa 

Quarta-feira (28)

17h – Exposição Monstros, show de Neco Yaros

19h – Rapsodos

21h – Encruzilhada

22h – Bernard Só

23h59 – A Anta de Copacabana

Quinta-feira (29)

17h – Rapsodos

20h – A Anta de Copacabana

22h – Bernard Só

23h59 – Punho Fechado

Sexta-feira (30)

21h – Bernard Só

22h30 – Punho Fechado

23h59 – A Anta de Copacabana

Sábado (31)

17h – Encruzilhada

19h – Rapsodos

21h – Bernard Só

23h – Punho Fechado

Domingo (1)

19h – A Anta de Copacabana

21h – Punho Fechado

23h – Bernard Só

Segunda-feira (2)

19h – Rapsodos

21h – A Anta de Copacabana

23h – Punho Fechado

Terça-feira (3)

17h – Bernard Só

19h – Encruzilhada

21h – Rapsodos

23h – A Anta de Copacabana

Quarta-feira (4)

17h – Lançamento livro “Genoma” e show com Neco Yaros

19h – Rapsodos

21h – Bernard Só

Quinta-feira (5)

17h – A Anta de Copacabana

19h – Lançamento livro “Eu, Coração Letícia”

21h – Bernard Só

23h – Rapsodos

Sexta-feira (6)

17h – Punho Fechado

20h – Rapsodos

22h – Bernard Só

23h59 – A Anta de Copacabana

Sábado (7)

19h – Bernard Só

21h – Punho Fechado

23h – A Anta de Copacabana 

Domingo (8)

17h – Rapsodos

19h – A Anta de Copacabana

21h – Punho Fechado

23h59 – Bernard Só