festival-curitiba1x
“Estudo n°1: Morte e Vida”: um caldeirão com punk rock e a poesia de João Cabral de Melo Neto

O espetáculo traz para o Festival de Curitiba o clássico “Morte e Vida Severina” adaptado para os dias de hoje com música, poesia e potência no palco.

“Estudo N° 1: Morte e Vida” é aquilo que surge depois da arrogância e do fracasso. Mas isso diz muito pouco sobre a obra que estará no Festival de Curitiba, no dias 3, às 19h, e 4 de abril, às 21h, no Teatro Zé Maria. Como a frase,  parte do teaser de divulgação do espetáculo, diz muito pouco, entrevistamos Giordano Castro, ator e um dos criadores da peça.

Credito: Foto Vitor Pessoa

Com Estudo N° 1, o Grupo Magiluth, baseado em Recife-PE, propõe novas conexões com a literatura brasileira por meio de uma montagem que lança sobre a poesia de João Cabral de Melo Neto o olhar sempre crivado de radicalidade que caracteriza as criações do grupo pernambucano. 

É o clássico “Morte e Vida Severina” trazido para os dias de hoje com música, poesia e potência no palco. “A poesia de João Cabral tem em sua estrutura musicalidade muito forte. Nosso trabalho foi pensar onde nos encontrávamos com essa musicalidade, levando em consideração questões do hoje que nos atravessam e nos chamam atenção”, explica Giordano. “Era inevitável que levássemos a musicalidade dentro da peça, considerando que a montagem mais icônica desse trabalho tem a trilha sonora do Chico Buarque – talvez seja uma das trilhas de peças mais conhecidas do Brasil”.

 Nesse caldeirão de pesquisas e influências, surge como inspiração a banda Devotos, ícone do punk rock pernambucano com suas canções que denunciam a desigualdade social e questionam o direito de propriedade. “Queríamos trazer um pouco da cultura punk rock. Experimentamos trabalhar com a música em cena, tocando instrumentos. Em dado momento da peça, temos quase uma opereta, com um dos artistas tocando contrabaixo”.

Mas isso ainda diz pouco sobre a obra. Em “Estudo Nº1: Morte e Vida”, o grupo flerta com o formato de peça-palestra, num espetáculo que utiliza como disparador a obra “Morte e Vida Severina” e atravessa uma série de estudos contemporâneos acerca de construções, formações e interações sociopolíticas ao longo dos séculos XX e XXI, no Brasil e no mundo. O resultado é uma obra em que se sucedem de forma veloz diversas questões que se tornaram urgentes ao longo dos últimos anos, como as alterações climáticas, a situação dos refugiados e a precarização do trabalho. 

Nas palavras de Amilton de Azevedo, “a obra, repleta de atravessamentos eminentemente políticos, mantém a autoralidade do Magiluth, verificada na manutenção do frescor de seu jogo cênico, na lida performativa com a construção de narradores e personagens, além de um olhar lançado sobre a própria trajetória enquanto passível de análise sob a ótica da caminhada de Severino. Neste sentido, é curioso pensar em torno dos fluxos de capitais não apenas financeiro, mas também simbólicos”. 

 

No Festival

Com Luiz Fernando Marques na direção e Rodrigo Mercadante na direção musical e assistência de direção, “Estudo Nº1: Morte e Vida” marca o retorno do Magiluth aos palcos. Mas para saber tudo sobre a obra, só mesmo assistindo a esse reencontro do Magiluth com o Festival de Teatro de Curitiba – evento em que o grupo já se apresentou diversas vezes. “Amamos o Festival, um dos principais do país, e amamos Curitiba. Ver o festival completar 30 anos e estar nessa programação nos honra muito. É uma alegria voltar a trabalhar, fazer o que sabemos e ter esse encontro com a plateia”.

A Mostra Lúcia Camargo é apresentada por EBANX, Paraná Banco, Governo do Estado do Paraná e New Holland, com patrocínio de ClearCorrect, Vonder, SulAmérica e Novozymes.

Acompanhe todas as novidades e informações da Mostra Lúcia Camargo do Festival de Curitiba pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, pelas redes sociais disponíveis, no Facebook @fest.curitiba, pelo Instagram @festivaldecuritiba e pelo Twitter @Fest_Curitiba

 

FICHA TÉCNICA:

Criação e Realização: Grupo Magiluth

Direção: Luiz Fernando Marques

Assistente de Direção e Direção Musical: Rodrigo Mercadante

Dramaturgia: Grupo Magiluth

Elenco: Bruno Parmera, Erivaldo Oliveira, Giordano Castro, Lucas Torres e Mário Sergio Cabral

Produção: Grupo Magiluth e Amanda Dias Leite

 

Serviço:
O que: “Estudo n°1: Morte e Vida” no 30º Festival de Curitiba
Quando: 3 e 4 de abril às 21h
Onde: Teatro Zé Maria  (R. Treze de Maio, 655 – São Francisco, Curitiba – PR)
Valores:  R$ 80,00 (inteira) ou R$ 40,00 (meia) + taxa de serviço
Ingressos:  www.festivaldecuritiba.com.br e na bilheteria física exclusiva do Shopping Mueller (piso L2), de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 14h às 20h.
Classificação: livre

Duração: 70’

 

Por Guilherme Bittar

 

 

NULL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts relacionados

Entre os dias 29 de março e 10 de abril, você tem um encontro com a arte, os palcos, a vida!

Menu

Entre os dias 29 de março e 10 de abril, você tem um encontro com a arte, os palcos, a vida!